Mês passado foi nossa primeira viagem longa com a Alice. Fomos para Bahia visitar meus sogros e aproveitar para curtir uns dias de descanso na praia. Foi bem diferente encarar um voo longo com um bebê de quatro meses. Primeiro começa com a mudança que temos que levar né! Sério parece que estávamos mudando de cidade de tanta coisa que levamos rsrsrs..

Ida:

Escolhemos o voo de Floripa a Ilhéus com uma conexão curta (1 hora e 30 minutos) em Brasília. Saímos de Floripa às 8:00 e chegamos em Ilhéus às 13:30 hrs. A Alice dormiu quase o tempo todo nos dois voos. Na conexão ela ficou elétrica querendo ver tudo, era muito engraçado a carinha dela. Posso dizer que os voos foram bem tranquilos. Contudo, nosso destinho final era Vitória da Conquista, que fica a 4 horas de carro de Ilhéus. Aí esse trajeto não foi tão fácil. Ela chorou, não queria ficar no bebê conforto do carro. Tivemos que parar umas 2x para dar mamadeira. Então as 4 horas se transformaram em 6 horas cansativas para todos. Se eu fosse fazer essa viagem novamente, dormiria em um Hotel em Ilhéus e somente no outro dia, encararia uma viagem de carro. Mas vivendo e aprendendo né!

Volta:

A volta foi bem mais tranquila. Isso porque foi feita em etapas, ou seja, saímos de Vitória da Conquista, chegamos em Ilhéus e ficamos 5 dias descansando em uma casa de praia.  Nosso voo de Ilhéus saiu as 13:30 e chegamos em Floripa às 23:00. A conexão da volta foi bem longa, ficamos 5 horas em Congonhas – São Paulo, mas como é um aeroporto grande deu para matar o tempo andando com o carrinho de bebê  pra lá e pra cá e deixando a Alice feliz (ela adora passear de carrinho). No voo para Floripa ela dormiu o tempo todo.

Trocas de fraldas:

Como os voos era curtos (em média duas horas), aproveitava para fazer a troca de fralda no fraldário do aeroporto, que é mais confortável e usava o trocador portátil em cima. Só em um dos voos fizemos a troca da fralda no banheiro do avião, porque não dava para esperar chegar no aeroporto (se é que me entendem kkkk).

Bagagem:

Definitivamente foi a viagem que mais levei tralhas. Levamos bebê conforto, carrinho e uma mala enorme.  O bebê conforto despachamos no check-in, o carrinho só na porta do avião. Na cabine, levamos 2 mochilas e uma bolsa com trocador portátil, mamadeiras, duas peças de roupas para algum imprevisto e lenço umedecido.

Viagens longas são sempre cansativas, e com um bebê a coisa fica pior… Mas eu acho que vale a pena quando chegamos no destino. Além disso, como gostamos de viajar, já estávamos nos preparando para isso!

E falando um pouquinho de Ilhéus. Ficamos em uma casa (que foi alugada) no Condomínio Mar e Sol. O lugar era lindo, praia paradisíaca e quase particular. Algumas fotos para vocês terem ideia do lugar:

beijos, Fran Gabrielli

Antes de ficar grávida eu já tinha algumas manchas no rosto, mas com os hormônios da gravidez elas se intensificaram. Mês passado fui na Dra. Angela Fantin (dermato aqui de Floripa) e ela me indicou usar Hormoskin., que é um creme dermatológico, à base de ácido, usado para o tratamento de manchas no rosto e contém: Hidroquinona 4%, Tretinoína 0.05%, fluocinolona acetonida 0,01%. Segundo a bula, ele age clareando as manchas gradativamente, com resultados que aparecem após 4 semanas de tratamento.

Antes de tudo, quero dizer que o intuito do post é somente contar a minha experiência sobre um produto. Ou seja, não dá pra fazer a louca e sair comprando, tem que falar com o seu dermato antes, e se ele achar que o produto é adequado pra você, aí sim, com a receitinha mão e acompanhamento médico você pode começar a usar,  até porque hidroquinona é um perigo e pode causar danos sérios, tá?

Bom, mas agora voltando a minha experiência com o creme, posso dizer que para mim ele super funcionou! Nas primeiras aplicações já deu para comprovar a eficácia. Minhas manchas diminuíram muito! (faz 3 semanas que estou usando). O lado negativo é que a pele descama um pouco, mas acho que quase todos os ácidos fazem isso. Ah outro ponto super importante: protetor solar deve ser usado sempre, mas quando se está usando ácido na pele, a aplicação deve ser mais rigorosa, já que o melasma pode piorar se a pele não estiver protegida (preferencialmente um fator 70).

Pena que eu não tirei uma foto do antes para mostrar aqui para vocês.

Ele é vendido em farmácias e custa em torno de R$ 96,00. Alguém já usou? O que achou?

 

beijos, Fran Gabrielli

Oi, pessoal, tudo bem com vocês?

Existem 2 fatos sobre reclamar: 1) É inútil; 2) Nós fazemos muito.

Bom, se é inútil, por que fazemos muito? A minha opinião é que fazemos isso porque é fácil. Não exige esforço nenhum reclamar, não é mesmo? É muito mais fácil reclamar do que tentar modificar a situação que nos incomoda. E é aí que reclamar deixa de ser algo inofensivo e passa a minar seu crescimento pessoal, porque ao reclamar você fecha a mente para as inúmeras possibilidades de resolver o que te incomoda, acomoda-se em reclamar e pior: deixa o seu “astral” péssimo (astral é uma coisa meio brega, mas não veio uma palavra melhor em mente rs).

Ter motivação para resolver seus problemas é assunto para outro post, mas o pontapé inicial – deixar de reclamar – é o que quero compartilhar com vocês. E é muito simples:

Pense sobre suas reclamações e liste-as. Por exemplo:

  • Casa (minha casa não está do jeito que eu queria, não aguento mais limpar…)
  • Emprego (meu salário não é justo, não gosto do que faço…)
  • Família (meu marido não me ajuda, meu filho não me respeita…).

Depois que terminar a lista, olhe para ela e imagine que todos os alvos das suas reclamações sumiram da sua vida.

No exemplo acima, agora você não tem mais casa, nem emprego e nem família. Como você se sente? Levou um baque e parou de reclamar na hora ou sentiu-se aliviado? Acredite, esse exercício vai te ajudar a modificar o que te incomoda para preservar o que você percebeu que valoriza e a tirar da sua vida o que você percebeu que realmente não cabe mais nela

Acho importante dizer para finalizar: Tudo na vida é questão de equilíbrio, esse post tem a intenção de ajudar quem está se sentindo muito queixoso(a) ou conhece alguém assim, mas isso não significa que você não deva reclamar de nada. Pelo contrário, a reclamação pontuada tem que existir nos seres pensantes e quando um amigo ou familiar se queixa de algo merece toda nossa paciência, pois às vezes a pessoa só precisa desabafar para sentir-se melhor.

Bom, é isso pessoal, espero que o post de hoje tenha ajudado vocês!

Até a próxima!

 

beijos, Fran Valente